Os últimos alfaiates: Costurar e vestir sob medida, uma arte ameaçada de extinção

As profissões em extinção..sapateiro, tipógrafo….e alfaiate

rsurgente

O alfaiate Rovídio Colatto conta com orgulho a sua história e fala com paixão da profissão que abraçou na metade do século passado e que conta com cada vez menos seguidores |Foto: Guilherme Santos/Sul21 O alfaiate Rovídio Colatto conta com orgulho a sua história e fala com paixão da profissão que abraçou na metade do século passado e que conta com cada vez menos seguidores |Foto: Guilherme Santos/Sul21

“O único homem que eu conheço que se comporta sensatamente é o meu alfaiate; ele toma minhas medidas novamente a cada vez que ele me vê. O resto continua com suas velhas medidas e espera que eu me encaixe nelas”. A frase de George Bernard Shaw retrata bem uma das principais virtudes de uma profissão que está desaparecendo no Brasil. A arte de tomar medidas, de cortar e costurar tecidos, da alfaiataria vem sendo substituída nas últimas décadas pela produção massificada de roupas em tamanhos e formatos padrões. A perda não é só em elegância. Há um vasto conhecimento que começou a ser construído e acumulado nos séculos XII e XIV na Europa e que chegou…

Ver o post original 1.342 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s