MinC abre código da plataforma Salic

09.07.2015 Fisl

Secretário Guilherme Varella anuncia abertura de código de plataforma de inscrições do MinC (Foto: Gian Martins)

.Durante abertura da 16ª edição do Fórum Internacional de Software Livre (FISL), o Secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, Guilherme Varella, anunciou a abertura do código do Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic) para contribuições no Github do Ministério da Cultura (MinC).

O Salic é usado para fazer inscrição online em editais do ministério e para inscrever projetos culturais para obter a aprovação do MinC para captar recursos via Lei Rouanet.  Com a abertura do código, será possível melhorar a interface do sistema, verificar e corrigir erros de forma mais rápida e criar novas funcionalidades também em menos tempo e de forma colaborativa.
“Vamos abrir o código do Salic. Vamos chamar a sociedade para desenvolver esse código junto, chamar a comunidade do software livre para pensar junto o Salic. Porque hoje é a ferramenta que gerencia R$1,3 bilhão do ministério, ou seja, é uma ferramenta importante e a gente quer que ela seja cada vez mais aberta e transparente para a sociedade poder participar”, afirmou o secretário.
De acordo com Varella, o tema da cultura digital retomou o posto prioritário da agenda política da atual gestão e integra as questões referentes a tecnologia e  inovação, mas também a cidadania e direitos na rede.
A participação do MinC no evento, segundo ele, em parceria com outros órgãos do governo, como o Ministério da Justiça, a Secretaria Geral da Presidência da República e o Ministério das Comunicações, trouxe para dentro do encontro a perspectiva de discutir e encontrar soluções conjuntas entre poder público e sociedade civil.
Para o ministério, quanto mais livre for a internet, quanto mais ela for um espaço de discussão pública, sem discriminação, em que todos possam exercer a sua liberdade de expressão cultural, mais a diversidade cultural brasileira vai estar representada.
“O Ministério da Cultura passa a entender a tecnologia da informação não apenas como uma ferramenta funcional de gestão administrativa e burocrática, mas como um projeto político para o ministério, em que o desenvolvimento dos programas, dos sistemas, passam a fazer parte de uma estratégia de colaboração com a sociedade. E nesta estratégia de colaboração, o software livre está no centro dessa dinâmica”, completou Varella.

Confira programação do MinC no FISL:

PROGRAMAÇÃO ESTANDE ABERTO
9 de julho
Atividade: Laboratório Vivo de Participação Social
Durante esse período, o espaço do estande será organizado como um laboratório vivo, ou seja, um lugar em que vários experimentos de participação social acontecerão em público. Qualquer pessoa pode entrar e fazer parte das dinâmicas, bem como propor novas.
O laboratório vivo é uma metodologia de inovação aberta em que cidadãos colaboram com organizações públicas e privadas para trabalhar em conjunto. Um dos princípios do laboratório é a meta-participação, ou seja, que a maneira de participar seja também construída pelas pessoas que participam. A abertura do código-fonte das tecnologias está implicada nesse princípio, porém, a meta-participação abre também o processo de criação da tecnologia, esforço especial para incluir as pessoas que não sabem escrever código de software.
Experimento 1 (Laboratório Vivo): O poder que emana dos algoritmos: entenda o algoritmo do Facebook na vida real
Horário: 9h -12h
Experimento do algoritmo do Facebook, de como ele mede a participação social. Em seguida: apresentação e feedback sobre o algoritmo da conferência de juventude.
Experimento 2 (Laboratório Vivo): Os hacker pira: um bugtracking pra resolver o Brasil
Horário: 14h -17h
Experimento com provótipo (protótipo provocativo) para identificar gargalos no diálogo das comunidades com o governo e como as tecnologias livres podem ajudar (esse protótipo será desenvolvido de antemão).
Atividade: Culturas Digital & Ancestral: Abayomi uma história contada entre tecidos e dedos
Horário: 17h às 18h
Voltada para Jovens quilombolas. A atividade apresenta a proposta de unir culturas diferentes – a digital e ancestral – a partir de um diálogo que utiliza as ferramentas contemporâneas para salvaguardar os saberes ancestrais de comunidades Kilombolas como a Comunidade Morada da Paz, situada no interior dos municípios de Triunfo e Montenegre/RS.
Atividade: #AoVivo – Copyleft na Cultura: licenças livres no jornalismo e na literatura
Horário: 18h –  19:30h
Provocadores: o escritor Jéferson Assumção, o coordenador da Associação Softwarelive.org, Ricardo Fritsch, o ativista do software livre, Marcelo Branco, o consultor do Banco Mundial, Uirá Porã, e a jornalista e sócia da Agência Verdeperto, Zaira Machado.
Relançamento, em formato digital, do primeiro livro Copyleft do Brasil “O Mudo das Alternativas – Pequeno Dicionário para um Globalização Solidária”.
10 de Julho
Atividade: Salic BR
Horário: 10h às 12h
Abertura do código do SALIC – Sistema de Apoio as Leis de Incentivo Cultural. Apresentação do sistema e discussão com desenvolvedores.
Atividade: #AoVivo – Transformando a gestão e a colaboração da cultura com o Mapas Culturais
Horário: 14h às 16h
Provocadores: o HackLab, Bruno Martin, o coordenador geral de Monitoramento de Informações Culturais, Leonardo Germani, e o consultor do Banco Mundial, Uirá Porã.
Atividade: #AoVivo Cultura Viva: Redes de trocas e participação
Horário: 17h- 18:30h
Provocadores: a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural, Ivana Bentes, a chefe de gabinete da SCDC, Cláudia Schulz, o Ponto de Cultura Quilombo do Supapo e representante da Rede de Pontos de Cultura do Rio Grande do Sul na Comissão Nacional, Leandro Anton, o coordenador de pedagogia da TV OVO, Marcos Borba, o representante do Ponto de Cultura Trocando Ideia e do GT de hip hop na comissão nacional de Cultura, Paula Stuczynski, e o consultor do Banco Mundial, Uirá Porã.
11 de Julho
Atividade: #AoVivo –  Acervos e memórias
Horário: 14h – 16h
Provocadores: o consultor do Banco Mundial, Uirá Porã, Dalton Martins, da UFG, José Murilo, Coordenação de Cultura Digital/MinC, Fabianne Balvedi, Estúdio Livre.
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Provocadores: o consultor do Banco Mundial, Uirá Porã, Dalton Martins, da UFG, José Murilo, Coordenação de Cultura Digital/MinC, Fabianne Balvedi, Estúdio Livre.

Com informações da Assessoria de comunicação MinC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s