Canasvieiras, um laboratório para o design brasileiro

No próximo dia 17 de março será lançado na capital de Santa Catarina o livro Canasvieiras, um laboratório para o design brasileiro. A história do LDP/DI e do LBDI, Florianópolis (1983-1997), de autoria de Ethel Leon. O livro resulta de pesquisa encomendada pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Santa Catarina (FAPESC) e pela Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC). Confira abaixo a entrevista realizada com a autora.

http://www.agitprop.com.br/?pag=atualidades_det&id=513&titulo=atualidades

Prezados colegas,
Infelizmente não será possível estar presente nesta data, mas no coração bate forte as amizades que ganhei no período em que frequentei o laboratório, já instalado na FIESC. Ainda hoje uso em meu pulso o relógio que fora trazido pelo colega Vincent, uma réplica do relógio do metrô de Londres. Quando conheci Eduardo Barroso e Marcelo, o laboratório já batalhava para sobrevivência, por incrível que pareça, não de ordem econômica, mas de ordem conceitual, pouco se entendia sobre design. De fato o laboratório abriu um mercado para o design, ao menos para o sul do país, com toda certeza sem medo de errar. A pouco tempo em contato com Eduardo, frisei meu agradecimento por este período vivenciado / experienciado no laboratório e do quanto contribuiu para me tornar um ser humano melhor para com os meus semelhantes. Aprendi a ver usuários dos meus projetos com os olhos livres, e isso faz uma baita diferença na qualidade de vida. Não importa qual seja sua área de atuação ou o produto. Com Marcelo compartilho links via Facebook muito prazerosos.
Gostaria muito de receber um exemplar desta publicação. Em reciprocidade me comprometo a procurar em meus alfarrábios  o convite e cartaz da exposição de design de produtos e gráfico realizada no Museu De ARTE DE SANTA CATARIANA – MASC  Santa Catarina – MASC.  A discussão por parte de alguns críticos horrorizados com a ocupação do espaço do museu com produtos e instalações de designers. Os comentários! mais diversos:” Aonde já se viu! Museu não é lugar de expor geladeira” Isso é um sacrilégio” e outros tantos. O Janga foi a voz da “dissonância” ou o espirito de consciência e entendimento da importância do design ocupar o MASC. Tanto assim escreveu artigo vigoroso na época, e me incentivou a propor  e criar o Núcleo de Design no Centro Integrado de Cultura, espaço onde juntávamos artes gráficas, musica com a moçada do Dazaranha, Cinema com Eduardo Paredes, e conversas com Zeca, os assuntos bruxólicos com Peninha. Tudo isso misturado no caldeirão do núcleo. Por semelhança podemos inferir também estas manifestações como desdobramentos do espirito de design gerado pelo LBDI neste território. Dazaranha - Seja Bem Vindo
Ficaria muito feliz em obter um exemplar desta publicação.
Abraço fraterno a todos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s